EN/ PT

ANDRÉ SANTOS

©DavidCachopo

André Santos (Funchal, Ilha da Madeira, 21 de agosto de 1986) começou a dar os primeiros passos na música a imitar o seu irmão mais velho, também guitarrista, Bruno Santos.

Dicas preciosas do mano mais velho incentivavam ao autoditactismo e à procura e escuta de discos, que iam desde Rage Against the Machine, João Gilberto ou Thelonious Monk. Este gosto e curiosidade abrangentes moldaram a personalidade musical de André Santos, tornando-o num guitarrista versátil, que deambula entre o Jazz e o Rock, a Música tradicional madeirense e a MPB, tocando várias guitarras e cordofones.

Conhecido pelo seu timbre e exploração de diferentes texturas sonoras, André Santos já participou em vários projectos, concertos e gravações com músicos como Carlos Bica, Maria João, Joana Espadinha, Teresa Salgueiro, Salvador Sobral, António Zambujo, Júlio Resende, Demian Cabaud, Gonçalo Marques, André Matos, Marco Franco, Cristina Branco, Carminho ou Ana Moura. Como líder, destacam-se os seus discos ‘Ponto de Partida’ (2013), ‘Vitamina D’ (2016) e ‘Embalo’ (2022) e o projecto Mano a Mano, com o irmão Bruno Santos, já com quatro discos editados.

Como director musical, destacam-se o projecto Mutrama (2018), no qual revisita a música tradicional madeirense com base em recolhas feitas pela Associação Xarabanda, dando assim seguimento à sua tese de mestrado sobre os cordofones tradicionais madeirenses (Conservatorium van Amsterdam).

Na senda da tradicão madeirense, fez também a direcção musical do projecto ‘Recordar Max’, a convite de António Zambujo. Dirigiu também o projecto ‘Um Só Dia’, de homenagem a Manuel Alegre, de Joana Alegre, que contou com a participação de Camané, Cristina Branco, Jorge Palma, Ana Bacalhau, AGIR, Maria Ana Bobone, entre outros.

Com todos estes projectos, e muitos outros, já actuou um pouco por todo o mundo: México, Macau, Cabo Verde, Suécia, Itália, Ucrânia, Bulgária, Lituânia, Eslovénia, Holanda, EUA, Polónia, Alemanha, Espanha, Uruguai, Sérvia, Montenegro ou Angola.

ANDRÉ SANTOS LANÇA NOVO DISCO: EMBALO E APRESENTA-SE, PELA PRIMEIRA VEZ, SOZINHO À GUITARRA.

Neste Embalo, o guitarrista madeirense André Santos gravou um conjunto de sete canções sozinho à guitarra (e cordofone da Madeira, Rajão), apenas com uma excepção: convidou o seu amigo Salvador Sobral para dar voz à canção que encerra o disco – Jobim – uma ode à música brasileira, com música de André Santos e letra de Salvador Sobral.

Todos os temas são originais excepto Veneno de Moriana, um tema tradicional madeirense, para o qual André Santos fez novo arranjo. O disco foi lançado em dezembro de 2022, em formato físico e nas plataformas digitais do músico.

“Este disco é um retrato fiel do músico que me sinto hoje em dia, fruto das muitas experiências musicais que vivi nestes últimos 6 anos desde que regressei de Amesterdão e gravei o meu último disco”, diz o guitarrista.

“Para este disco, gravei bem mais que 7 temas, e depois fui selecionando, retirando, reduzindo ao essencial. Meia-hora de música, em prol da cronologia deste Embalo.”





Top

Ver Videos



Top

Links

Trackback from your site.

 

    NÃO PERCA AS ÚLTIMAS NOVIDADES!
    SIGA-NOS ON-LINE.

    Twitter response: "Bad Authentication data."

    Subscreva a nossa Newsletter